Garimpos da Netflix || O Rei

MV5BNzMwZTJhYWItMjcxNC00NzAyLThkMDctMGJhYTE5ZTNiMDZhXkEyXkFqcGdeQXVyODUxNjcxNjE@._V1_
Compartilhar:

O Rei, novo filme de drama épico da Netflix, trás Timothée Chalamet (de Me Chame Pelo Seu Nome) como Rei Henrique V, Joel Edgerton, Sean Harris, Lily-Rose Depp, Robert Pattinson e Ben Mendelson. O filme também tem nomes como Brad Pitt e o próprio Joel Egerton na produção. Além disso, o filme é inspirado em algumas peças shakespearianas sobre a vida do rei.

No longa, Chalamet dá vida ao príncipe Hal (mais tarde Henry V), que vive longe do castelo e da influência do pai, e é constantemente conhecido por ser um jovem sempre bêbado e inconsequente. Entretanto, o rei está em seus últimos dias de vida e nomeia seu filho mais novo, Thomas, como seu sucessor, o que não surpreende Hal. Apesar dos esforços de Hal para poupar o irmão das guerras em nome do pai, Thomas acaba padecendo em uma destas batalhas e Hal finalmente é nomeado Rei.

O filme tem um recorte bem específico e certeiro a respeito de como contar sua história. Vale falar também, que a direção não se preocupou em tomar decisões arriscadas, que pudessem não dar certo. O roteiro é certeiro ao retratar a jornada do herói, do jovem inconsequente se tornando um bom rei e, também, a escolha do elenco acerta em escalar Timothée Chalamet. Joel Edgerton entra quase como uma consciência, aquele personagem sábio com poucos e insteressantes diálogos; já Robert Pattinson cai bem como o “fresco” rei Charles da França. O ator tem mostrado uma atuação excelente em outros longas e, neste, não deixa a desejar.

O Rei é, surpreendentemente, um bom filme. Tem excelente fotografia, um bom roteiro (e que rendem diálogos claramente inspirados nas peças de Shakespeare) e boas cenas de batalhas (quem gosta, via se surpreender). David Michôd consegue apresentar um filme épico, mas que flerta com momentos políticos interessantes atualmente .

Formada em gastronomia por uma universidade paulista, especialista em jornalismo cultural e uma artista por natureza. Apaixonada por livros, séries e cinema desde sempre.

Nina Xaubet – que já escreveu publicações em Cinefilando.


Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*