Garimpos da Netflix || A Sociedade Literária e a Torta de Casca de Batata

Juliet (Lily James) probiert den namensgebenden Kartoffelschalenauflauf des „Guernseyer Freunde von Dichtung und Kartoffelschalenauflauf“ Buchclubs.
Compartilhar:

Eu sei, que nome estranho para um filme!! Mas sério, vocês sabem como eu amo ficar garimpando coisas para assistir na Netflix e esse lançamento foi uma bela surpresa.

Juliet Ashton (Lily James) é uma escritora na Londres de 1946 que decide visitar Guernsey, uma das Ilhas do Canal invadidas pela Alemanha durante a Segunda Guerra Mundial, depois que ela recebe uma carta de um fazendeiro contando sobre como um clube do livro local foi fundado durante a guerra. Lá ela constrói profundos relacionamentos com os moradores da ilha e decide escrever um livro sobre as experiências deles na guerra.

Juliet Ashton, interpretada pela maravilhosa Lily James (Cinderella) é uma jovem escritora que, após publicar seu livro e fazer algum sucesso, está sem inspiração. Contudo, Juliet recebe uma carta de um fazendo de Guernsey contando sobre como seu livro foi importante para a sobrevivência dele e de alguns habitantes na Ilha do Canal e em como surgiu um clube do livro e o que a Torta de Casca de Batata tem a ver com toda essa história. A escritora, é claro, não consegue deixar a história de lado e vai atrás do fazendo na Ilha, para descobrir mais sobre este clube do livro, a torta de casca de batata e resolver um mistério que liga a vida de todos eles.

Não é muito difícil de se imaginar o desfecho da história; alias, o longa metragem da Netflix não tem muitas surpresas e não trás grandes reviravoltas em sua trama, entretanto, é delicioso de se assistir. Quase uma sessão da tarde, mas com uma belíssima fotografia, com takes maravilhosos da ilha inglesa e uma boa trilha sonora. O elenco é coeso e cativante, com personagens apresentados e aprofundados de maneira inteligente. O único porém é a própria Juliet, que sabemos ser uma boa escritora, mas que não chegamos a ter noção de seu potencial.

Não há uma quantidade vasta de títulos de livros apresentados nas cenas em que a sociedade literária está presente, contudo, vale ressaltar o sentimento que o filme nos passa ao tratar a literatura e como ela mudou a vida de seus personagens. Quem adora ler, vai entender. Existe também um senso maravilhoso de comunidade entre os habitantes da ilha, que nos dia de hoje são um deleite, ao pensarmos em como nossa realidade está. Por fim, A Sociedade Literária da Casca de Batata é um filme amorzinho, delicioso de assistir e com uma bela mensagem no final. <3

Formada em gastronomia por uma universidade paulista, especialista em jornalismo cultural e uma artista por natureza. Apaixonada por livros, séries e cinema desde sempre.

Nina Xaubet – que já escreveu publicações em Cinefilando.


Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*