Crítica || Vingadores – Guerra Infinita

Marvel Studios' AVENGERS: INFINITY WAR..L to R: War Machine (Don Cheadle), Winter Soldier/Bucky Barnes (Sebastian Stan), Black Widow/Natasha Romanoff (Scarlet Johansson), Captain America/Steve Rogers (Chris Evans), Hulk (Mark Ruffalo), Okoye (Danai Gurira), Falcon (Anthony Mackie) and Black Panther/T'Challa (Chadwick Boseman)..Photo: Film Frame..©Marvel Studios 2018
Compartilhar:

Vamos esclarecer alguns fatos antes de falarmos sobre o filme. 1) Não vou dar spoiler. 2) Esse filme acabou com meu emocional.

Vingadores – Guerra Infinita estreou no ano em que o MCU, o tal universo cinematográfico da Marvel, completou dez anos. Sim, dez anos. (Pasmem, já faz dez anos desde a estréia de Homem de Ferro 1) E por ser uma data comemorativa, o filme teria que vir com tudo e arrebentar, tanto nas bilheterias, quanto com o público e tudo mais. E pensar em o que aconteceu dentro desses dez anos, me fez chegar a algumas conclusões. São um total de 19 filmes, todos ligados por referências atrás de referências, personagens que transitam de um longa para o outro e histórias que se completam. Que coisa incrivel fez essa Marvel!! Se pensarmos em dez anos atrás, concluímos que a idéia de conceber todo um universo cinematográfico deve datar de mais alguns anos antes e foi um plano muito ambicioso.

Decidi, após pensar por alguns dias, que escreveria esta crítica de maneira diferente, ressaltando os pontos positivos do filme, sem me atentar a detalhes, evitando possíveis spoilers.

Thanos.
Eu adoro vilões. Thanos é um deles. Cara roxo, grandão, meio melodramático, com aquela pinta de marrento, mas que se mostra eficaz em seu objetivo de acabar com a vida na Terra para que, no futuro, as próximas gerações tenham uma boa vida. Motivado pela destruição de seu próprio planeta e pretendendo cometer um genocídio intergalático com um estalar de dedos, Thanos é um dos vilões mais impressionantes da franquia.

Homem de Ferro x Dr. Estranho.
Todos os heróis tem seu tempo de tela, outros mais e outros menos. Alguns são invisíveis. Alguns ganham mais destaque que outros por conta do foco do filme, o que de forma alguma, prejudicou o desenvolvimento da narrativa. O conflito de egos entre Tony Stark e Stephen Strange foi, sem dúvida, um dos pontos altos. Os dois tem personalidades fortíssimas e isso rende uns bons debates, embora o Tony Stark parecesse uma criança birrenta ás vezes.

Temos também mais cenas em Wakanda e uma luta fenomenal entre os aliens e nossos heróis, que rendeu boas cenas de ação, sequencias empolgantes e certo nível de desespero. Ah, e atentem-se para as cenas entre Thor, Rocket e Groot no espaço. <3

Peter Parker também aparece aqui e, é claro, rouba a cena, o coração, a emoção e o que resta do nosso psicológico. <3 <3

Vingadores – Guerra Infinita tem uma estética incrível. Quem assistiu em 3D deve ter ficado impressionado com os efeitos visuais que saltam aos olhos. Mas é claro, que os méritos vão para os roteiristas e a direção, que soube dosar humor, drama e ação. O filme tem pouco mais de 2h40min de duração, mas passam tão rápido que ficamos querendo mais. Vale lembrar que tem UMA cena pós créditos e que ela é o gancho pro próximo filme. 😉

Formada em gastronomia por uma universidade paulista, especialista em jornalismo cultural e uma artista por natureza. Apaixonada por livros, séries e cinema desde sempre.

Nina Xaubet – que já escreveu publicações em Cinefilando.


Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*