Literando || Trilogia Fortaleza Negra – Kel Costa

Capturar
Compartilhar:

Fortaleza Negra é um pequeno caso de amor. Voltamos há meados da primeira década dos anos 2000 no falecido Orkut. Entrei em uma comunidade para “Leitores da K” (ou alguma coisa assim) e descobri que não era a única pessoa que ficava escrevendo histórias alternativas para meus filmes preferidos. Encontrei um monte de gente e encontrei as fanfics da Kel. O tempo passou, as prioridades mudaram, mas Kel Costa, uma carioca louca por seus cachorros e de uma imaginação incrível, continuou ali, firme e forte na difícil tarefa de ser uma autora nacional. E ser uma espectadora de tudo isso, mesmo que uma mais distante, é incrível.

O que aconteceria se a humanidade ficasse no meio de uma guerra sem precedentes entre criaturas poderosas, de duas espécies predadoras e extremamente perigosas? Em um mundo completamente diferente de tudo que conhecemos até então, começa a aventura de uma adolescente rebelde e atrevida, que enfrentará os mais temidos vampiros e seres mitológicos, para conquistar uma posição de respeito, graças à sua força e coragem.

Fortaleza Negra é o primeiro romance da trilogia e tem uma resenha disponível aqui no blog (clique aqui). Sua sequencia se dá tem Tempestade de Sangue quando Sasha Baker se vê em meio a uma descoberta de tráfico de sangue e traição dentro da Fortaleza e envolvendo-se cada vez mais com um dos Mestres e com um dos cientistas que trabalham com seu pai. Enquanto o mestre Mikhail está ausente em uma caçada por mitológicos, Sasha tenta se aproximar de Klaus e resolver esse mistério, contudo as coisas se complicam quando ela é capturada por alguns mitológicos. Em Ruínas de Gelo, o terceiro e último livro, temos o desfecho dessa história. Sasha se vê envolvida em uma guerra que pode definir o futuro da humanidade, ao passo que cada vez mais, ela mergulha em uma relação com a família de vampiros originais.

A trilogia tem uma narrativa fluida, que torna a leitura agradável, de fácil compreensão. Já a trama surpreende pela coesão histórica quando se trata da criação desse universo alternativo e, principalmente, na atenção aos detalhes. Um dos aspectos mais interessantes, é a utilização de elementos da mitologia eslava como pano de fundo para a origem dos  vampiros e a criação de um universo inteiramente novo e diferente do que já conhecemos. O surgimento dos mitológicos também é muito bem explicado através de personagens já bem conhecidos da mitologia grega.

Sasha é uma personagem cativante. Adolescente de cabelos cor de laranja, que denotam sua personalidade e temperamentos fortes. Ela age praticamente por conta própria por quase todo o livro e “quase” não dá ouvido ás outras pessoas, o que ás vezes a torna um pouco irritante e me deixou impaciente para os próximos trechos. A relação da ruiva com o vampiro Mikhail é fofa. O personagem me lembra um pouco o Louis de Entrevista com o Vampiro e o Edward de Crepúsculo. Contudo, Klaus é  o meu favorito. Vampiro milenar, astuto, de temperamento horrível, com alguns lapsos de bondade em meio aos milênios de maldade. Entretanto, ele é surpreendente. Seu passado amoroso, a dinâmica entre os irmãos e sua relação com Sasha são muito interessantes e divertidos, ainda mais nos momentos finais de Ruína de Gelo.

 Fortaleza Negra vale a leitura. Além do mais, está disponível na Amazon e você pode baixar o aplicativo Kindle em qualquer dispositivo e ler em qualquer lugar.

Formada em gastronomia por uma universidade paulista, especialista em jornalismo cultural e uma artista por natureza. Apaixonada por livros, séries e cinema desde sempre.

Nina Xaubet – que já escreveu publicações em Cinefilando.


Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*