Literando || Jogador nº 1 – Ernest Cline

jogador-número-1-novo-cartaz-ccxp-2017-warner-
Compartilhar:

Eu precisava urgentemente vir falar um pouco sobre esse livro e sobre como eu estou amando Ernest Cline neste momento. Comprei o livro lá na CCXP deste ano aqui em São Paulo no estande da editora Leya, a partir de uma indicação. E olha que eu não curto essa temática futurista, mas o livro acabou me ganhando por alguns motivos e eu vou citar todos eles aqui.

OASIS
Ontologically Anthropocentric Sensory Immersive Simulation, em português Simulação Imersiva Sensorial Ontologicamente Antropocêntrica, é um jogo de realidade virtual criado por James Halliday que, em consequência de todos os avanços da tecnologia e a deteriorização do meio ambiente, acabou se tornando uma parte fundamental da vida das pessoas. O OASIS é como um SECOND LIFE, um jogo de realidade virtual onde se tem um mundo quase infinito e é possível fazer de tudo. Na trama de Ernest Cline, o jogo passa a ser fundamental na vida das pessoas, tanto que as crianças e adolescentes passam a ser educados dentro do OASIS, onde as possibilidades são infinitas.

Contudo, o criador do OASIS, James Halliday, é um personagem muito excêntrico. Tinha lá suas esquisitices e manias, e uma delas foi criar um concurso entre os jogadores do OASIS, que aconteceria após sua morte. Halliday deixou um ovo escondido e essa caça ao ovo deixou os jogadores empolgados para a busca.

Wade Watts
Wade Owen Watts é um rapaz de dezoito anos que não tem muitos recursos, mas é muito inteligente e está na busca pelo ovo de Halliday. Wade, não é conhecido dentro do OASIS pois ele (e qualquer outro jogador) possui um alterego, o seu chama-se Parzival. Como Parzival, ele encontra a primeira pista (Easter Egg) para o desfecho do concurso e, por isso, torna-se conhecido como JOGADOR Nº 1.

Seguindo essa premissa, Ready Player One é um livro ambicioso e cheio de detalhes que devem atrair a atenção do seu leitor, mas que exige que o mesmo preste muita atenção aos detalhes, afinal, há muitos easter egg’s. O universo criado por Cline é incrível. Existe um detalhamento incrível do OASIS e da realidade de Wade, onde tudo se conecta de maneira inteligente. Narrado em primeira pessoa, entendemos o livro a partir do ponto de vista de Wade, o que torna a experiencia muito divertida e surpreendente, afinal, acabamos por fazer descobertas juntamente com o personagem.

Jogador número #1 é um livro de referências á cultura pop. Tem de tudo. Deloreans, Matrix, Senhor dos Anéis, Harry Potter, Dungeons and Dragons, RPG’s, Tron Legacy, Pacman, fliperamas… Há certa nostalgia em cada página e parágrafo. Sentimos uma certa saudade naquelas palavras que referênciam toda uma cultura e, Ernest Cline, acaba por nos entregar uma obra retrô-futurista carregada de homenagens ao que o cinema, seriados, jogos e música possuem. Entretanto, vale salientar que todos esses detalhes podem deixar a leitura cansativa, não menos interessante, mas ainda sim, necessita de uma atenção especial, para que nada se perca.

E para quem amou, tem uma notícia muito boa: Jogador nº 1 foi adaptado para o cinema com, nada mais, nada menos, que produção de Steven Spielberg. O filme teve seu trailer exibido pela primeira vez no Brasil lá na CCXP 2017, juntamente com os atores do filme. Preciso dizer que foi demais ver tudo em primeira mão? É claro que não! Fiquem com este trailer e a estréia do filme acontece dia 28 de março!!

Formada em gastronomia por uma universidade paulista, especialista em jornalismo cultural e uma artista por natureza. Apaixonada por livros, séries e cinema desde sempre.

Nina Xaubet – que já escreveu publicações em Cinefilando.


Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*