Garimpos do Netflix || The Crown

2
Compartilhar:

crown-poster

The Crown é uma nova produção do Netflix que promete contar a história dos primeiros anos de reinado da rainha Elizabeth II e os conflitos de seus relacionamentos pessoais em torno de sua família. The Crown é a série mais cara já produzida pelo canal de streaming, custou cerca de US$ 100 milhões de dólares, tornando-se um investimento de risco, mesmo quando a temática – a família real britânica – seja objeto de curiosidade do público em geral.

Sou um tanto quanto suspeita em falar sobre The Crown. Eu adoro filmes, séries e livros biográficos, ainda mais tratando-se de uma monarquia, assunto de meu interesse principal. O elenco da série é composto por nomes de peso como Claire Foy – de séries como Wolf Hall -, Matt Smith – conhecido por seu papel em Doctor Who -, Jared Harris – de Mad Men e Sherlock Holmes – O Jogo das Sombras -, e o incrível John Lithgow – de Interestelar. A escolha de um elenco tão refinado, nos leva a crer que houve uma pesquisa detalhada para a produção do seriado.

3Para relatar a guinada na vida de Elizabeth, que aos 25 anos assumiu o trono, o espectador é transportado para os anos 50, onde encontramos cenários maravilhosos e incrivelmente parecidos com os reais. Ainda falando sobre o detalhamento da produção, vale ressaltar a habilidade de Michelle Clapton (que ganhou 3 Emmys por Game of Thrones) em copiar trajes usados pelos monarcas reais e, ainda, dar personalidade aos personagens sem que seja preciso a criação de diálogos para isso. Claire Foy/Elizabeth II usa roupas de tons pastéis, claros e comprimentos maiores, que refletem uma personagem séria e comprometida; diferente de Vanessa Kirby/Margaret, que usa e abusa de trajes ousados e coloridos, mostrando sua extravagância.

Em geral, um seriado biográfico tende a criar expectativas ruins no espectador, que associa isso a algo chato e tí4pico de um documentário escolar. Entretanto, em The Crown há ressalvas. O seriado consegue superar expectativas negativas e, através de um roteiro muito bom, narra a história de Elizabeth quando assume o trono, mas não a coloca o tempo todo como centro das atenções. Em diversos momentos, Phillip e Churchill são o foco do episódio e/ou algum momento importante da história, tornando a rainha um meio para um fim. E por falar em Winston Churchill, John Lithgow está absolutamente sensacional! O ator americano encarna um personagem idoso que não quer deixar o poder e, mesmo tendo conhecimento de que o momento para tal se aproxima, tenta ao máximo deixar um legado mesmo gerando polêmicas. Sua relação com a rainha é um quesito interessante e que pode ser explorado pelo espectador.

No demais, The Crown tem uma composição maravilhosa. Trilha sonora, fotografia e figurinos são impecáveis e, talvez (além da propia curiosidade sobre a vida de Elizabeth II) seja o fator que mais atrai a atenção do espectador.

2Fonte: IMDB, Netflix.
Imagens: IMDB.

 

Formada em gastronomia por uma universidade paulista, especialista em jornalismo cultural e uma artista por natureza. Apaixonada por livros, séries e cinema desde sempre.

Nina Xaubet – que já escreveu publicações em Cinefilando.


Compartilhar:

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *